domingo, 22 de março de 2015

última US

Algumas coisas acontecem na vida da gente. Não entendemos bem a razão. Mas sabemos que há uma ou várias, por trás de tudo!
Quinta feira à noite, dia 18/03, voltei da aula de Pilates, dei banho na Nina, ajeitei tudo para o dia seguinte e fui tomar banho.
Quando tirei a roupa, vi uma mancha escura de sangue na calcinha. Tremi. Chamei marido e mostrei. Chorando, fui tomar banho, meio sem saber o que pensar daquilo.
Terminei o banho e fui me deitar. Nem comi. Perdi a fome. Fiquei quieta.
No outro dia não fui trabalhar. Morria de medo de ir olhar se tinha piorado. Mas tinha parado. Parecia que sim. Fiquei a manhã toda deitada.
À tarde, marido me levou na emergência. Foi aí que fizeram a 3ª US. Estava tudo bem mas... Nada de embrião ainda. Só um saco gestacional compatível com 6 semanas de gravidez. E eu estava completando 10 semanas, pela DUM. Muita incompatibilidade de números!
Como o sangramento foi leve e estava parando, a médica me mandou para casa e disse que em 3 dias deveria cessar. E era para repetir a US em uma semana, pois até lá teríamos um diagnóstico real de tudo.
Na sexta à noite, comecei a ter novo sangramento. Leve. Até aí, nada de dor. Coloquei um absorvente e fui dormir.
No sábado, desceu um fluxo intenso, sangue mesmo. Aí nessas alturas, já estava preparada para o pior. Marido também.
Na sexta havíamos conversado sobre todo o histórico, desde a 1ª US, as contas e datas que não batiam, a não evolução do tamanho do saco gestacional, conforme o esperado... Enfim... estávamos, no fundo, nos preparando...
Ainda no sábado, pela manhã, ficamos eu e Nina em casa. Marido saiu para ver coisas da obra. Lá pelas 10:30/11 horas comecei a sentir fortes cólicas. Senti uma. E uma vontade louca de ir ao banheiro. Até aí achei que era menstruação mesmo, que daria conta de tudo em casa. Que seria uma expulsão natural. A louca! Totalmente louca! E enganada!
Percebi que as cólicas vinham mais ou menos em períodos regulares de tempo. Comecei a controlar o tempo. O espaço ente uma e outra era de 1 minuto e meio. Percebi que estava tendo contração.
As primeiras eu aguentei firme. Tomei remédio para cólica. Pensei que daria conta.
Ao meio dia mandei mensagem pro marido pedindo pra vir pra casa, pois estava com muita dor. Já tinha aprontado o almoço. Não aguentava mais aquela dor e a Nina ao meu redor. E eu sem poder chorar ou berrar de dor, pra não assustá-la.
Felizmente, não demorou 5 minutos ele chegou em casa.
Pedi para ele dar o almoço pra Nina e também almoçar. Pedi para ele ligar pra minha comadre/amiga/irmã Claudia, a Dinda, pra me levar na emergência. Acho que em 10 minutos ela chegou. Eu estava pronta. Aí, as contrações estavam de um em um minuto. Chegamos na emergência em 20 minutos. Fui atendida e fiquei aguardando me chamarem. Não chamavam. E eu me torcia de dor. Até que a Dinda chamou alguém pra me atender, pelo menos pra me tirar a dor. Me pediram para entrar. Não tinha leito na emergência do centro obstétrico. Me sentaram numa poltrona e pegaram a minha veia ali mesmo. Vagou um leito no consultório então me deitaram e colocaram uma medicação.
Juro que nunca havia sentido dor igual. Demorou uns 30 minutos para a dor passar um pouco. Fiquei uns 30 minutos sem "muita dor".
Então, nesse tempo sem muita dor, a médica queria me examinar, para ver como estava o colo do útero. E queria fazer uma US para ver como estava dentro. Fez o exame de toque e assim que ela terminou, desceu muito sangue. Senti escorrer. Fez a US e pasmem! Mesmo com todo sangue, toda a hemorragia, o saco gestacional estava ali. A médica plantonista foi conversar com a minha obstetra.
Nisso a dor voltou muito pior. Conseguiram então um leito na emergência e me levaram para lá. Eu gemia de tanta dor. As contrações voltaram e estavam ocorrendo de 30 em 30 segundos. Eu pedia remédio. Me deram dipirona que nem cócegas fez. Vieram com outro. Não lembro o nome. Toragesic, talvez. Nada. Por fim, as 16:30, me deram morfina. Das 10:30 às 16:30 senti tanta dor, mas tanta dor, que não sei como não desmaiei.
Depois da morfina, a médica plantonista colocou 3 comprimidos para abrir o colo do útero. Eu deveria esperar 4 horas para então avaliar se tudo havia sido expelido ou se seria necessária uma curetagem.
Às 19:30, nova US e avaliação. Agora, sem dor. O colo do útero estava aberto mas... o saco gestacional estava lá ainda. Nem eu acreditava, pois havia perdido tanto sangue, tanto coágulo, que achava impossível ter algo ainda lá.
Mas tinha!
Então a médica disse: "Vou tentar puxar o que tem lá dentro, mas se não vier tudo, vamos ter que chamar tua médica para fazer a curetagem.".
E eu rezando pra ela conseguir tirar tudo e não precisar passar a noite no hospital.
Nina estava em casa, pois a Dinda me deixou no atendimento e voltou pra ficar com ela. Aí Marido foi e ficou lá comigo. Ele chegou lá no fim da dor. as 16:15... Pegou uns 15 minutos de "cara feia"!
Por fim, ela retirou o que conseguiu de material e fez o último US que constatou que só ficara 1 cm que deverá ser expelido ao longo desta semana. O material recolhido foi para biópsia e será encaminhado à minha médica. Ela me passara o laudo final.
No final desta semana preciso fazer uma US para ver se realmente tudo foi expelido. Caso não, terei que fazer a curetagem.
Na segunda levo o resultado da US para a minha GO avaliar.

E como estamos? Bem, na medida do possível. Desde as primeiras USs, eu sabia que algo estava estranho. E a gente sempre tem esperanças. Marido tinha mais que eu, verdade!
Mas meu sexto sentido, desde o início, me disse para não sair contando, não alarmar. Não sei... algumas coisas não se explicam.
Claro que contamos e eu fiquei super feliz com cada desejo de saúde, felicidade, tudo!
Eu acho que a tristeza de depois ter que contar que não deu certo, me rondava. Não consigo mesmo explicar.
Enfim, psicologicamente estamos bem. Eu ainda não estou 100% fisicamente. Ainda estou com sangramento. A médica disse que vai alguns dias ainda. É pra evitar esforço (como se isso fosse possível com um bebê de 2 anos e 8 meses cheio de energia!). Vou tentar.
E vida que segue!!!! Fazendo sempre novos planos!!!

Ah, e a Nina? Bem, contei pra ela ainda no sábado de manhã que eu podia pegar ela no colo. Ela logo me falou: "Mas e o nenê na barriga?"
Eu falei: "Não tem mais, o Papai do Céu levou!"
Ela: "Não tem mais maninho?", com uma cara de choro.
Eu: "Não, mas logo o Papai do Céu manda outro pra nós!".
Ela ficou quieta, pensando... Sabe-se lá o que passou na cabecinha dela.
Hoje eu peguei ela no colo e ela disse: "Agora mamãe pode pegar a Nina no colo de pé, não tem mais nenê na barriga. Papai do Céu levou, mas logo ele manda outro!".
Minha filha amada. Nosso anjo que nos conforta sempre!!! Ninguém substitui ninguém. Mas pelo menos temos nossa Nina. E temos que agradecer infinitamente por isso!

Um beijo e uma semana abençoada e cheia de boas notícias, muita saúde, amor e paz a todos!!!

6 comentários:

  1. Bibi, sinto muito. Mando meu abraço e meu carinho para você e espero que você se recupere logo e possa em breve comemorar uma nova gestação.
    Um beijo
    PS. Confesso que quando li seus posts anteriores me lembrei da minha história e fiquei aqui torcendo para que a sua terminasse mais feliz.

    ResponderExcluir
  2. Ô, amiga... Ainda bem que acabou, ainda que de um jeito não muito feliz...
    Hj vc leva os resultados pra tua GO ver né? Depois me conta como foi!

    A parte de contar pra Nina me emocionou!

    Fico besta com tua força, querida!

    Deus sabe mesmo de todas as coisas!

    Força!

    Beijos em vcs!

    Mãe e Mel

    ResponderExcluir
  3. Sinto muito! Apesar dos exames estarem indicando que algo não não estava bem, acreditava que tudo ia dar certo!
    Mas a vida tem propósitos que hoje não conseguimos entender.......
    Mas a vida continua e se DEUS quiser logo a Nina será promovida a irmã mais velha!
    Torcendo muito!!!!!!!!!!
    um forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Oi Bibi, difícil esse momento amiga estás vivendo. Mas ainda bem que vc
    é forte e jovem vai superar tudo isso. Deus que sabe de todas as coisas
    vai mandar outro bebê para vc cuidar assim mesmo como vc disse.
    Força amiga, e um beijinho na Nina Ninoca. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Impossível ler teu relato e não lembrar do meu episódio que foi quase igual.
    Sei que palavras nesse momento confortam, mas que ao mesmo tempo não temos muito o que falar.
    Fé em Deus sempre, ele sabe a hora certa para tudo!
    Beijos em vc e na Ninoca!

    ResponderExcluir
  6. Sinta meu abraço e meu carinho! Deus sabe das coisas...
    Beijos

    ResponderExcluir

Nós AMAMOS quando você comenta!!